Categoría

Soluções de Cobertura Inclinada

Procure, encontre

Telhados microventilados: as vantagens da montagem a seco

Muitos dos problemas relacionados com as agressões do clima às tradicionais coberturas em telha cerâmica, tais como condensações e consequente degradação material, para além de climatização pouco eficiente, encontram novas soluções na técnica de aplicação a seco, que substitui a clássica fixação por argamassa. São os denominados “telhados microventilados”, que respondem a muitas das preocupações de quem pretende projetos duradouros e com elevada satisfação do cliente.
Os telhados microventilados de telha cerâmica são uma evolução dos telhados tradicionais. Para além da microventilação sob a telha, caracterizam-se por eliminar o uso de massas e/ou argamassas utilizadas nos telhados tradicionais, substituindo-as por elementos mecânicos - tais como parafusos, clips, ganchos ou grampos - para fixar as telhas, tanto em suportes descontínuos como em suportes contínuos.
Por norma, os fabricantes portugueses de telha cerâmica oferecem os elementos auxiliares e peças especiais de cerâmica que são essenciais para executar corretamente o denominado telhado microventilado.
Este tipo de montagem permite a microventilação entre a telha e o suporte, através da entrada de ar pela parte inferior do telhado, pelo beiral e pelas caleiras, e da sua saída pela parte superior, ou seja, pela cumeeira e pelos rincões.

A telha cerâmica como referência cultural, durabilidade e segurança

Artigo de opinião - Arqª Joana Diogo Pires

Um telhado é um sistema construtivo que permite proteção e conforto, tão ou mais importante do que os restantes elementos que constituem os edifícios. É o telhado que cumpre a função de proteger todo o edifício das ações climáticas, chuva, vento, neve e radiação, proporcionando uma maior eficiência energética e consequentemente mais conforto e melhor habitabilidade.

Tectum Pro: tão fácil de montar em 4 passos

Numa solução completa de cobertura como o Tectum®-Pro, que proporciona proteção, isolamento e estanquidade, é uma enorme mais-valia que o sistema seja tão fácil e rápido de montar. Antes de começar, assegure-se que o material está em perfeitas condições e corresponde ao previamente definido no seu projeto. Depois, a instalação é tão simples que se resume em quatro passos básicos que passamos a explicar. Ou ainda mais fácil: pode ver o tutorial em vídeo.

O que é o PIR e porque é isso importante?

PIR significa poliuretano de poliisocianurato. Se não sabe o que isso é, deixe-nos explicar que se trata de um material isolante com uma capacidade superior ao tradicional poliuretano (PUR), porque combina os componentes poliiol e isocianurato numa proporção aproximada de 100:150, em vez dos 100:100 do PUR. Os testes provam-no.
Para medir a capacidade isolante de um produto, utiliza-se a condutividade térmica, representada pela letra grega lambda λ (W/mK), ou seja, a quantidade de calor que pode atravessar o material. Quanto maior for esse valor λ, pior serão as suas capacidades isolantes. Logo, o que nos interessa são isolamentos em que o valor do λ seja o mais baixo possível.
Entre os materiais isolantes existentes no mercado, os valores de condutividade podem variar entre os 0.032 W/mk, como é o caso do sistema Tectum®-First, e os 0.038 W/mK, nos isolamentos de fibras e lãs minerais.
Ora, a maior eficiência da primeira solução deve-se à utilização de painéis exclusivos Clima First com isolamento constituídos por… PIR. A estrutura de células fechadas deste material, que permite uma maior capacidade isolante, tem uma condutividade térmica excelente de apenas λ = 0.022 W/mK. E porque possui uma menor condutividade térmica, permite utilizar menores espessuras de isolamento para conseguir a transmissão térmica determinada pelas normas, com uma envolvente de menor espessura que ocupa menos espaço na cobertura.