A importância do telhado: um “herói” escondido à vista de todos

É uma daquelas coisas que, de tanto a vermos, de tão constante que é nas nossas vidas, todos os dias, mal damos por ela. Mas já alguma vez pensou que o telhado de sua casa, do seu local de trabalho, do restaurante, do cinema, do ginásio, tem uma “história” para contar? E faz ideia das exigências funcionais que lhes estão inerentes?

Por constituir a envolvente superior do edifício, o telhado é a parte da construção mais exposto às agressões dos elementos exteriores. Como qualquer outro componente de um edifício, é sujeito a exigências que decorrem de três funções distintas que tem de cumprir no seu conjunto: função de proteção, função estrutural e função estética.

Para que o telhado cumpra as suas funções de proteção e estrutural, os elementos que o compõem têm de cumprir os seguintes requisitos:

Impermeabilidade – O telhado deve ser 100% estanque, de forma a impedir em permanência a entrada da chuva, neve ou granizo. Para tal é necessária a combinação perfeita de elementos como as telhas e os restantes componentes. Juntos garantem que a estanquidade total está garantida.

Resistência – Os elementos estruturais de um telhado devem ser dimensionados de modo a resistirem a solicitações de dois tipos: de carácter permanente, como o peso próprio da estrutura ou do seu revestimento; e de carácter acidental, como é o caso das acções atmosféricas, climatéricas e incêndios. Os elementos de um telhado devem possuir características intrínsecas que lhe permitam resistir com sucesso a todos estes agentes, sem que a sua performance seja alterada.

Isolamento – Os isolamentos podem ser térmicos e acústicos, e nos mais diversos materiais e densidades, consoante a especificidade de cada projeto. Também a telha tem propriedades isolantes, quer térmicas, quer acústicas, que derivam das propriedades da argila e que são complementadas mediante a utilização dos elementos de isolamento propriamente ditos. A aplicação destes materiais, conjugados de forma correcta com as telhas, permitem uma ventilação eficaz e maior eficiência no telhado e melhores níveis de conforto.

Facilidade de manutenção e conservação – O tempo e vida útil de uma cobertura aumenta significativamente se forem realizadas inspecções periódicas e trabalhos de conservação e limpeza, os quais deverão podem ser realizados sem interferir com a funcionalidade da própria cobertura.

Facilidade de acesso e segurança – A questão da segurança é parcialmente assegurada pelo correto dimensionamento e cálculo da estrutura de suporte. Cumulativamente, devem ser previstas zonas de acesso à cobertura e caminhos de circulação na mesma, através do emprego de elementos próprios para o efeito, de modo a que esse mesmo acesso seja feito com medidas adequadas de segurança.

Vistas as funções de proteção e estrutural, chega a vez de abordar a função estética. Quando falamos neste aspeto, não podemos esquecer que o revestimento exterior da cobertura tem um forte impacto, quer no design arquitectónico do edifício, quer na envolvente paisagística.

Atualmente, é possível escolher as mais variadas soluções para coberturas, que permitem preservar a eficiência funcional e, ao mesmo tempo, as opções estéticas de cada projeto. O leque de modelos e tonalidades nos materiais de revestimento é muito vasto, fruto de uma constante resposta industrial à evolução e exigências arquitetónicas, possibilitando uma personalização e diferenciação impensáveis há alguns anos.

Assim como o telhado é um dos elementos mais expostos aos agentes atmosféricos – e deles nos protege – ele também é um dos mais expostos ao nosso olhar.

Alguma vez tinha parado para pensar que o seu telhado é muito mais importante do que pensava?

 

Deixe o seu cometário: